Programa Direção Espiritual => Toda Quarta-feira às 22:00h. na Canção Nova ★

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

O direito de escolher

Fonte : Site Canção Nova
Acampamento de Carnaval
Canção Nova (22/02/09)

O direito de escolher






Padre Fábio de Melo
Foto: Robson Siqueira


"Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade); Aprovando o que é agradável ao Senhor. E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe. Mas todas estas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta. Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá" (Efésios 5, 8 – 14).

Essa palavra de São Paulo é muito rica. Estar na escuridão é, muitas vezes, estar sem opção de escolher. O processo de educação é mais rico quando nossos pais nos educam para escolhas; não para coisas determinadas. A regra não dá possibilidade de escolher.

Fico muito intrigado, porque as pessoas, muitas vezes, vêem a religião como oposição às regras. Não, a religião nos faz livres. É o diabo que nos a impõe, a ponto de perdemos a oportunidade de escolher.

Se nós não escolhemos na hora certa, ficamos condenados a levar aquilo que sobrou. Por isso, São Paulo diz: "Você, que optou pela luz, viva na luz". A Palavra de Deus nos ajuda a escolher o certo.

Deus não nos condena; Ele nos propõe o certo. São as nossas escolhas que vão definir se seremos felizes ou não. Aonde você estiver, precisará ser luz, testemunhar Jesus.

Não há nenhum lugar neste mundo que não precise de luz, principalmente nestes dias de festas, no qual as pessoas se esquecem de ser elas mesmas. Cada vez que eu me convenço de que o Cristianismo é vivo com autenticidade, eu preciso ser cristão onde for. Assim como uma mãe não pode dizer ao filho: "Vou deixar de ser sua mãe por quatro dias", um cristão também precisa ser cristão em todos lugares e em todas as situações da sua vida. Cristianismo não é uma couraça que você coloca e tira.

Não dá para viver o Cristianismo sem zelo. As pessoas querem banalizar o que sou, o meu ministério. Há 13 anos trabalho com a música católica, mas agora resolveram falar de mim diabolicamente. Então, eu falo: "Cuidado com o que você fala, porque tenho zelo com o meu ministério".

Hoje, vejo este lugar lotados de jovem, aqui é um território que não lhe oferecerão camisinha, porque nós não estamos preocupados com a genitalidade, mas com a totalidade que você é. A camisinha não lhe protege da prostituição, da solidão de Quarta-feira de Cinzas, de você se sentir usada. Deus entra na nossa vida e coloca bom gosto.

"Precisamos ser testemunhas daquilo que vivemos e mostrar às pessoas que somos seguidores de Cristo"
Foto: Robson Siqueira

Precisamos ser testemunhas daquilo que vivemos e mostrar às pessoas que somos seguidores de Cristo. Nosso testemunho precisa passar por tudo. Deus nos educa para as boas escolhas da vida e, todas as vezes que esquecemos disso, passamos a viver uma religião de preceitos. Mas não dá para viver de regras e restrições, porque, se vivermos assim, um dia "a casa cai" como uma casa construída na areia.

Não existe Cristianismo sem escolhas, pois as nossas angústias nascem delas. Você tem duas possibilidades: a angústia ou o seu coração. O Espirito Santo nos ilumina e nos faz questionar se algo é luz ou trevas.

A pior coisa que nos acontece é quando colocamos a nossa oportunidade de escolhas na vida do outro.

Vocês mães, têm ensinado seus filhos a escolher a luz? As maiores referências que um filho tem são os pais. Agora, se eles não têm a influência do pai ou da mãe, ele vai encontrar outras.

Um exemplo disso são os jovens nas faculdades com aqueles trotes. Que universidade é essa que um momento de vitória é reduzido a nada. Ali, as pessoas banalizam o que o outro é.

Educar-se no Cristianismo não é apenas ler a Bíblia para o filho, mas minuciar, em gestos, o que o Evangelho ensina. Educar bem uma criança é prevenção, para que você não venha que bater em seu filho mais tarde.

Você não pode permitir que a luz que foi acesa em você viva nas trevas; luz é para iluminar e nós não temos o direito de apagá-la. Assim como não temos o direito de dizer a um filho: "Hoje, não sou sua mãe". Mãe é mãe e precisa saber quem ela é. Se nos esquecemos de quem somos, as pessoas fazem de nós o que querem.

O bem a ser feito, às vezes, parece não ser tão bom. Se formos a um supermercado, encontramos uma ricota sem graça, mas também vemos um queijo gordo e ficamos com água na boca, porque o queijo é mais gostoso. Porém, o queijo gordo faz mal à nossa saúde, ele é o diabo.

Aqui na Canção Nova, não tiramos as bebidas ou as drogas das suas coisas. O que nós queremos, é fazer você entender as escolhas que você faz.

Deus não está preocupado com o sapato que você usa, mas com o seu coração. O que vai fazer a diferença na sua vida são as luzes que você acende na sua vida e na vida dos outros. Pare de se preocupar com as coisas pequenas, Deus quer o seu coração. Não se preocupe com os artifícios, transforme o que é essencial. Deus não pode fazer absolutamente nada com as nossas obras se Ele não puder mudar o nosso coração. Deus quer o nosso coração.

Você não precisa fazer esforço para seu filho gostar de chocolate, mas como é difícil fazê-lo gostar da rúcula. É mais difícil, porque o saudável nos cobra disciplina.
"Ser cristão não é moleza; se você quer moleza, não opte pelo Cristianismo"
Foto: Robson Siqueira

"Desperta tu que dormes!" Ser cristão não é moleza; se você quer moleza, não opte pelo Cristianismo. O caminho de Deus são todos feitos de escolhas e, em cada opção certa, nós iluminamos quem somos.

Quando somos traídos, precisamos ter a coragem de olhar nos olhos do traidor e dizer-lhe que você não trai mais.

Tome o território da sua vontade, Deus nos fortalece para escolhermos o bem. Em qual território você precisa que seja derramado o poder de Deus? Escolha, hoje, a melhor parte. Somos filho do céu.


Transcrição e adaptação: Elcka Tôrres
Fonte : Site Canção Nova


Reconhecer-se Indigente - Acampamento Carnaval Canção Nova

Reconhecer-se indigente
Fonte : Site Canção Nova

Quanta sabedoria quando o salmista coloca a necessidade da cura para o pecado.
Há um cuidado humano com a saúde, no que comemos, como vivemos, como forma de prevenir as enfermidades nessa responsabilidade que cabe a mim e a você na observância da vida, no respeito ao organismo que somos. Não somos um mecanismo, somos organismo e precisamos respeitá-lo. Se não o fazemos, o levamos a falência antes da hora. Definhamos antes da hora.

E aqui, o salmista pede a Deus que lhe cure. Considerando o pecado como enfermidade.
Da mesma forma como nós interpretamos o cuidado da saúde com o corpo, descobrimos que a vida espiritual precisa seguir as mesmas regras.

O corpo é o território do sagrado.
E como medicamos o corpo para que ele seja curado, o salmista nos inspira e nos ensina que quando Deus nos perdoa, encontramos o processo de cura.

Curai-me Senhor pois pequei contra vós.

O perdão de Deus, o reconhecimento de Sua misericórdia, é um soro que colocamos em nossas veias todos os dias.De vem em quando eu preciso bater na porta das pessoas que me amam e dizer: “Me ajuda a chegar até Deus? Porque está difícil sozinho.” A possibilidade de estar com vocês aqui, é um soro que entra na minha veia.

Deus não é sim e não. Deus é apenas 'sim'. Aqui você pode decidir-se pelo processo de reconhecer que há um Deus que nos ama de maneira única, e que não há nenhuma realidade humana que possa ser capaz de ofuscar e ser maior do que esse amor.

O evangelho de hoje é uma prova concreta de que Deus continua apostando em Sua misericórdia conosco. Você que ama, eu pergunto: pode haver algo mais curativo em nossas vidas, do que amar e ser amado?

O ódio nos rouba, o amor nos devolve. Quando você não tem muitos motivos para se alegrar, e tem que lidar com suas fragilidades e não sabe o que fazer com elas, você não procura seus companheiros de copo, ou de fofoca. Você vai querer bater na porta de alguém que verdadeiramente vai saber olhar para suas indigências do jeito que elas merecem ser olhadas. Por que o primeiro milagre que Jesus faz de perdoar pecados, também participamos na dimensão humana.

"Não podemos pensar na nossa indigência fora da misericórdia de Deus"
Foto: Robson Siqueira

A cura que muitas vezes nos falta na vida, não é o perdão divino. Deus não tem nenhum problema em nos reconciliar com Ele. É especialidade dEle perdoar, compadecer-se, mas ainda não é minha, nem a sua.

Quantas vezes você sofreu na pele a vergonha de ter que mostrar quem você era para alguém que achava que te amava? E você errou?

Não tenho tido medo de ser fraco, indigente. E acolho como dom de Deus, porque a concretização do evangelho de hoje só acontecerá em nós no momento que a gente reconhecer que de vez em quando precisamos ser colocados na maca para que alguém nos leve na presença do Senhor.
Por que nos esconderam tanto tempo que Deus prefere os piores? E que no acolhimento da fraqueza podemos chegar a algum lugar, e que o contrário não? Nós não podemos negligenciar a oportunidade de dizer isso a ninguém.

Somos indigentes. É o que você precisa ver em mim, em cada um de nós, no seu pároco, nas pessoas que você diz amar. O amparo humano que nos anuncia o amparo de Deus. Deus segurou na minha mão e ele tinha rosto de gente.

Não temos outra coisa a anunciar nessa vida a não ser a misericórdia de Deus. Nada do teu passado pode ser maior do que força do futuro de Deus. Nada.

Falar do perdão de Deus na nossa vida, é falar do perdão que nós nos entregamos o tempo todo. A primeira parte desse milagre, que foi fazer a voltar a andar o que era paralítico, foi o Senhor perdoar o pecado dele. Quantas vezes na vida ficamos paralisados? Não vamos pra lugar algum. E quando investigamos a paralisia, vemos que em algum momento não soubemos nos reconciliar com aquilo que a gente é. A gente se projetou melhor do que era, ou o pior do que era e a gente acabou não sendo nada.

"Nada do teu passado pode ser maior do que força do futuro de Deus"
Foto: Robson Siqueira

Quantas vezes você se estragou porque não foi capaz de se perdoar? Não foi capaz de usar de misericórdia consigo mesmo? Não reconheceu que estava indigente, ou que na corrida chegou em último lugar.

Como é duro ser o último. Agora, quando estamos no pódio é fácil achar quem nos ama.
Alguma coisa dentro de nós pede para que o fracasso do outro seja ridicularizado. Isso é demoníaco. Nós não sabemos lidar com o fracasso dos outros.
O mais desconcertante disso tudo é que Jesus ficava de olho em quem chegava por último, e deles fazia seguidores.

Pode ser que a gente esteja tentado a olhar só o 'batalhão de frente'. Jesus ficava de olho para ver quem estava em último e o trazia para dentro. Por isso o cristianismo é anuncio de salvação.

O presente é para todos. Só basta querer receber. Nisso está a dimensão humana da salvação: eu quero, aceito, me disponho, e recebo aquilo que Deus quer me ofertar. Eu quero essa participação direta nesse presente que Deus me oferece.

Por isso, não olhe para trás. Não preste atenção no que não deu certo. Não ponha seu empenho no que você não tem. Deus só pode trabalhar naquele que se reconhece indigente.Qual é pior doente? É aquele que não quer ser tratado.

Aqui está origem de toda enfermidade: o pecado que não recebe cura.
Como tratamos o corpo, precisamos tratar o espírito, a alma.

Não podemos pensar na nossa indigência fora da misericórdia de Deus. Ele nos quer arrependidos dos erros e prontos para começarmos de novo.

Deus nos ama, mesmo na indigência. Não neglicencie a oportunidade de trazer Jesus ao coração das pessoas que você encontrar na sua vida.

A face mais sedutora de Deus é a misericórdia.

Transcrição e adaptação: Nara Bessa
Fonte : Site Canção Nova


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Carta de D. Maria Lúcia - Blog Pe. Fabio de Melo

"Por crer na convicção de sua vocação, que expressa o seu amor à Jesus, nos anunciando de maneira intensa e maravilhosa o poder do amor verdadeiro e da misericórdia Divina, convido à todos que acompanham o Pe.Fábio de Melo, a ler essa Carta que ele postou em seu Blog dia 11/02/2009. Carta realmente digna de ser lida por todos os que o amam na fé, onde a Sra. Maria Lúcia expressa com tanta sabedoria e sensibilidade o desejo de muitos".

Blog "Amigo de Fé"

************************

11/02
Carta de D. Maria Lúcia

"Eu não conheço Dona Maria Lúcia. Ela chegou em minha vida através de uma carta endereçada à Canção Nova. Quis partilhar com vocês o conteúdo de suas palavas. É um jeito de agradecer às inúmeras manifestações de carinho e respeito que tenho recebido das pessoas que me acompanham.
São as palavras de uma professora que eu gostaria de ter tido como mestra.
Com minha benção,
Pe. Fábio de Melo".

Fonte : Blog Site Pe. Fábio de Melo

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Um Agradecimento Especial

Um postagem especial, um agradecimento especial !!!

"O verdadeiro prevalece na pureza do eterno." É isso que guardo em meu coração, que fortalece a minha fé. Aprendi a eternizar o simples." Simone

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

O inacabado que há em mim.

Fonte - Site Canção Nova
O inacabado que há em mim

Sou como o rio em processo de vir a ser




Eu me experimento inacabado. Da obra, o rascunho. Do gesto, o que não termina. Sou como o rio em processo de vir a ser. A confluência de outras águas e o encontro com filhos de outras nascentes o tornam outro. O rio é a mistura de pequenos encontros. Eu sou feito de águas, muitas águas. Também recebo afluentes e com eles me transformo.

O que sai de mim cada vez que amo? O que em mim acontece quando me deparo com a dor que não é minha, mas que pela força do olhar que me fita vem morar em mim? Eu me transformo em outros? Eu vivo para saber. O que do outro recebo leva tempo para ser decifrado. O que sei é que a vida me afeta com seu poder de vivência. Empurra-me para reações inusitadas, tão cheias de sentidos ocultos. Cultivo em mim o acúmulo de muitos mundos.

Por vezes o cansaço me faz querer parar. Sensação de que já vivi mais do que meu coração suporta. Os encontros são muitos; as pessoas também. As chegadas e partidas se misturam e confundem o coração. É nessa hora em que me pego alimentando sonhos de cotidianos estreitos, previsíveis.

Mas quando me enxergo na perspectiva de selar o passaporte e cancelar as saídas, eis que me aproximo de uma tristeza infértil. Melhor mesmo é continuar na esperança de confluências futuras. Viver para sorver os novos rios que virão. Eu sou inacabado. Preciso continuar.

Se a mim for concedido o direito de pausas repositoras, então já anuncio que eu continuo na vida. A trama de minha criatividade depende deste contraste, deste inacabado que há em mim.

Um dia sou multidão; no outro sou solidão. Não quero ser multidão todo dia. Num dia experimento o frescor da amizade; no outro a febre que me faz querer ser só. Eu sou assim. Sem culpas.


Padre Fábio de Melo
Padre Fábio de Melo é professor no curso de teologia, cantor, compositor, escritor e apresentador do programa "Direção espiritual" na TV Canção Nova.


Fonte - Site Canção Nova
06/02/2009 - 09h40

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Pe. Fabio de Melo - Meu coração na Cruz (música)


"O único e exclusivo desejo na formatação desse clip, é partilhar tantas bençãos, que recebemos por intermédio do Pe. Fabio de Melo, através de suas palavras, pregações, músicas..., nos direcionando a esse amor maravilhoso que ele expressa por "Jesus".
E eu não me canso de dizer: A sua emoção e sensibilidade geram "vida", as palavras, as músicas, proporcionando um brilho eterno à sua missão."

Blog "Amigo de Fé" por Simone


Letra e interpretação abençoada.
Formatação : Blog "Amigo de Fé"



Música : Meu Coração na Cruz
Interpretação : Pe. Fabio de Melo
Letra : Dalvima Gallo


segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Percebendo a ação de Deus



Programa de 08/Janeiro/2009. Neste vídeo Pe. Fábio nos lembra que Deus se revela e se manifesta sempre, o limite em não sentir esta manifestação está em nós, quando não percebemos. Como exemplo podemos tomar a parábola do samaritano, nos dois primeiros transeuntes Deus não pôde agir, pois eles não se dispuseram a ajudar, apenas quando o samaritano se dispôs em ajudar foi que Deus se manifestou. Deus acontece em cada um de nós, não adianta comungarmos a Eucaristia se não permitirmos que Cristo aconteça em nós, é neste momento que o Eterno se faça presente hoje, no tempo atual. A eternidade é a ausência de tempo, quando fazemos o bem, não sentimos o tempo passar, pois experimentamos a eternidade que está em Deus, o Sumo Bem.