Programa Direção Espiritual => Toda Quarta-feira às 22:00h. na Canção Nova ★

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Vida - Pe. Fábio - Hallel Canção Nova 2008




Fonte: You Tube por http://direcaoespiritual.blogspot.com



Letra - Vida




Pelas ruas da cidade, pessoas andam no vai e vem

Não vêem o cair da tarde, dando os seus passos como um refém

De uma vida sem saída, vida sem vida, mal ou bem


Pelos bancos desses parques ninguém se toca sem perceber


Que onde o sol se esconde o horizonte tenta dizer


Que há sempre um novo dia, a cada dia um novo em cada ser




Não é preciso uma verdade nova, uma aventura,


Para encontrar nas luzes que se acendem um brilho eterno


E dar as mãos e dar de se além do próprio gesto


E descobrir feliz que o amor esconde outro universo




Pelos becos pelos bares pelos lugares que ninguém vê


Há sempre alguém querendo


Uma esperança sobreviver


Cada rosto é um espelho


De um desejo de ser de ter




Não é preciso uma verdade nova, uma aventura,


Para encontrar nas luzes que se acendem um brilho eterno


E dar as mãos e dar de se além do próprio gesto


E descobrir feliz que o amor esconde outro universo




Cada rosto é um espelho


De um desejo de ser de ter




Talvez quem sabe por essa cidade passe um anjo


E por encanto abra suas asas sobre os homens


E ter vontade de se dar aos outros sem medida


A qualidde de poder viver vida viva


Vida Vida

Música Tudo Posso - Show Lançamento Cd Vida





Fonte : You Tube por http://direcaoespiritual.blogspot.com



Letra da Música (maravilhosa!!)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Acampamento de Oração - "Quando o sofrimento bater a sua porta" - Vire a página (19/10/08)





Vire a página

Padre Fábio de Melo


Foto: Robson Siqueira/CN








Lembro-me do meu primeiro caderno, de como era feio. Descobri que era pobre quando fui à escola e vi que minha caixa de lápis de cor tinha 12 lápis e a do meu amiguinho do lado tinha 36. Lembro-me que o único luxo que meu pai me deu, foi uma merendeira com formato de elefante.



Meu primeiro dia de aula foi terrível, eu tremia como 'vara verde' e a dona Rosângela, minha primeira professora que era a melhor da época, cuidou de mim. Naquele momento, diante de toda a situação, eu sentei, dobrei minhas pernas e fiz xixi nas calças. A professora ao perceber, disse que eu teria que ir para casa. No segundo dia aconteceu a mesma coisa, e assim também no terceiro. Eu até já ficava feliz porque sabia que teria que voltar para casa.



Mas, neste terceiro dia fui surpreendido. Ao fazer o xixi nas calças a professora disse que eu não iria para casa, pois minha mãe tinha dado uma cueca reserva caso acontecesse de novo.



O momento da escola para mim era terrível, e eu queria fugir do sofrimento, não queria enfrentá-lo. Na escola eu tinha pavor de matemática por que eu a encarava como maior que eu. Quando tinha medo de alguma coisa, eu não a enfrentava. E quanto mais não enfrentava, mais medo tinha daquilo.



Se existe alguma coisa que lhe mete medo, respeita, mas não deixe que o medo se torne determinante, por que senão você será eternamente prisioneiro deste medo. Muitas vezes o nosso sofrimento é duplicado dentro de nós por que nos entregamos à experiência do medo, e não devemos ter medo, devemos enfrentá-lo. Se diante do sofrimento eu não o enfrentar, ficarei agarrado à saia da mãe eternamente.



Seja honesto com os medos que você sente. Seja honesto com aquilo que merece a sua atenção. Você pode estar perdendo tempo na vida por que está dando atenção àquilo que não merece. A nossa vida às vezes está uma bagunça danada por que não a pontuamos direito, e acaba sendo como um texto mal pontuado que não pode ser bem compreendido. A nossa vida deve ser bem pontuada.



Uma "exclamação" no nosso rosto faz falta. Quantas brigas surgem por pessoas que não conseguem pôr uma exclamação na cara? Nós temos o direito de ter nossos momentos de baixa, mas não podemos nos deixar dominar por estes momentos, devemos nos colocar cheios de esperança mesmo diante dos sofrimentos que estão diante de nós! Muitos sofrimentos da nossa vida teriam sido evitados, solucionados, se a gente tivesse perguntado antes, se tivéssemos conversado antes com as pessoas que estão à nossa volta.



O sofrimento muitas vezes só vai embora no momento em que chegam pessoas em nossas vidas. Às vezes o que falta nos relacionamentos é a capacidade de perceber o outro. Nossa capacidade de perceber o outro está tão prejudicada por vivermos na pressa, que não percebemos as pessoas. Nós vivemos na pressa e nossa vida vai ficando vazia.





Foto: Robson Siqueira/CN

'Talvez você precise "virar a página"! ', diz Padre Fábio




Quanto sofrimento se estende em nossas vidas porque não sabemos pôr um ponto final nas coisas? Temos que ter a coragem de pôr este ponto final em muitas coisas em nossas vidas. Por exemplo: nos vícios. Conheci um rapaz que com 38 anos estava morrendo de câncer por que não soube pôr um ponto final em seu vicio. Deixou seus filhos e esposa, pois fumou desde os 12 anos.



Se eu matar a minha saúde, se me matar antes do tempo não for pecado, então eu não sei mais o que é pecado. O interesse das indústrias é que tenham cada vez mais viciados, pois um viciado não tem controle. O sofrimento humano está sendo gerado a partir do momento em que os vícios crescem você tem que ter coragem de jogar fora estas pequenas doses de morte que você coloca em sua própria vida.




Padre Léo uma vez me dizia: “Meu filho, eu nunca pedi a Deus que me curasse do meu câncer, por que seria muito injusto eu plantar limão e querer colher outra coisa. Eu fumei a vida inteira. Então, eu peço a Ele que me ensine a morrer do jeito certo”. Se eu não faço minha parte, eu me pergunto: será que é honesto eu pedir que Deus faça a parte Dele, se eu não faço a minha? Ele já fez a parte Dele nos dando a vida, precisamos fazer a nossa parte!



Há enfermidades que não buscamos, mas há tantas outras que a gente costura, que a gente busca. Como terei saúde boa se não tiver uma boa alimentação? Como é que terei saúde espiritual se eu não busco coisas boas? Um dia eu aprendi muitas lições na escola, mas hoje vejo que tudo aquilo que aprendi também é Evangelho. Deus pode, e eu tenho que poder com Ele, tome uma atitude a partir de hoje.




Deus é dinâmico e precisamos ser também. Olha quanta coisa perdemos na nossa vida por que somos lerdos. Se nós entrarmos no dinamismo da graça, ninguém nos segura! Vá à mesma velocidade que Deus está! Ele não perde tempo, Ele ama a toda hora. Se você tem que perdoar, perdoe hoje! Tenha pressa de ser feliz, pois não sabemos quanto tempo nos resta. Tenha pressa de se reconciliar com as pessoas que você ama, tenha pressa em fazer uma atividade física, tenha pressa em amar, tenha pressa em querer a vida, pois não sabemos quanto tempo ainda temos.


Onde será o ponto final, a vírgula, o ponto de interrogação ou de exclamação que você deve colocar em sua vida? Talvez você precise "virar a página"! Deixe que Deus fale ao seu coração, para que você saiba o que realmente deve fazer em sua vida.




Transcrição e adaptação: Flávio Costa



Fonte : Site Canção Nova

Acampamento de Oração - Quando o sofrimento bater a sua porta

Quando o sofrimento bater à sua porta - 19/10/08

Padre Fábio de Melo

Foto: Robson Siqueira






O Evangelho escolhido foi o da Ressurreição de Lázaro, um grande amigo de Jesus. Estar em Betânia e estar com os amigos de Betânia era uma forma de Jesus curar e restaurar as forças. Jesus sofreu muito porque amou muito. Quanto maior estivermos ligados às pessoas, mais sofreremos. Mas não construa cercas. Tenha essa sensibilidade diante do sofrimento. Era isso que Jesus ia buscar em Betânia: consolo em amigos verdadeiros.






Quando Ele chegou em Betânia já faziam 4 dias que Lázaro estava morto. Não podiam fazer mais nada, mas para Jesus não havia tempo e Ele foi ter com o morto. Jesus era muito humano. Quando Ele chega, tampa o nariz pois a situação estava ‘podre’. Mas, movido pelo amor àquele homem diz: ‘Vem Lázaro’.






Na verdade, Jesus queria nos mostrar que a morte não foi feita para nós. Um dia, todos nós iremos morrer, isso é fato, mas Jesus está falando de outra morte e quer nos propor a ressurreição. Se olharmos somente para a pedra posta no sepulcro, não haverá nenhuma esperança, e nos desesperaremos porque a pedra é imóvel. Se ficarmos olhando para a pedra, ficaremos fixados ali, no mesmo lugar, e não é isso que Jesus quer. “Lázaro vem para fora”. Quantas vezes experimentamos estar no sepulcro, que é um lugar escuro e que cheira mal? Mas, se deixarmos essa pessoa ficar lá muito tempo, não a encontraremos do mesmo jeito, pois ela entrou em processo de decomposição. É um lugar de silêncio e não há mais nada, terminou.






Agora, se olhamos a morte como um lugar de transição, daí sim, ele fica cheio e revestido de esperança. Quantas vezes você já morreu?






Estamos ressuscitando todos os dias. A cigarra fica um ano debaixo da terra para cantar somente um dia. Um ano se preparando para cantar até se arrebentar. O sofrimento é isso, um tempo de preparo. Louvado seja Deus pelos sofrimentos.






Todos os artistas compõem maravilhosas obras quando estão sofrendo, e toda vez que tocamos nos nossos limites, vamos além. Compomos música, pintura, criamos vida e caráter. Você pode estar se perguntando: "Mas eu não sou artista, e aí?" Você pode desenhar a sua alma, pode esculpir o seu caráter.






A cigarra não fica debaixo da terra por motivo de masoquismo. Não. É um tempo de preparo existencial da natureza. Quando você perceber que o seu sofrimento está infértil, é o tempo de parar de sofrer. Quando começamos a derramar as lágrimas, é o processo de cura que está nos lavando e purificando. Quanto tempo pode durar um velório dentro de nós? O sepultamento do corpo tem que iniciar um processo de amizade com a vida. O sofrimento é criado dentro de nós. O velório não é uma situação de morte. O que fazemos com o ruim que aconteceu conosco? Não importa o que a vida fez com você, mas o que você faz com o que a vida fez com você. Não temos como evitar o desprezo do outro, vão acontecer coisas que não vamos gostar, mas somos nós que vamos ver quanto custa esse sofrimento.






Boa parte dos sofrimentos do ser humano está naquilo que nós pensamos e permitimos em nosso pensamento. Se racionalizarmos a nossa emoção, nós não sofreríamos.








Foto: Robson Siqueira

Não há problema que resista a uma pessoa transformada por Deus.









Neutralizar o pensamento do sofrimento é lançar um pensamento bom em cima de um pensamento ruim. Quantas pessoas sofrem por não ter a capacidade de filtrar as coisas ruins que falam conosco. Não tenho direito desses sentimentos mesquinhos que paralisam o mundo. Não temos o direito de ser mesquinhos por querer ser o que o outro é. Não tenha inveja. Floresça onde Deus o plantou.






Há pessoas invejosas por querer ser o que você é. Que não são capazes de olharem o que elas realmente são. Pare de olhar para a vida do outro, pois você não tem os valores que ela tem, mas você tem valores que ela não tem. Temos que ter nossa coerência e nosso modelo. Liberte-se dessas idéias pessimistas sobre você mesmo, você é capaz.






A ordem de Jesus: “Pare de ficar neste sepulcro e venha viver”. Estamos em horário do cristão: Está na hora de viver! Você não tem o direito de ficar no túmulo com seus problemas e lutos. O tempo previsto para o sofrimento tem data marcada para terminar, já passou, chega! Faça alguma coisa pela sua vida! Só sofra de verdade pelas coisas que valem à pena. Quantas pessoas que não sofreram o que deveriam sofrer? Esse tempo é curto e é maravilhoso descobrir que hoje temos a oportunidade de escutar a voz de Jesus dizendo que não quer mais a morte para a nossa vida. Deus está segurando na nossa mão.






Se você está sofrendo muito, permita que Jesus cuide de você. Revolucione sua vida, pois quem fica parado é “poste”. Melhore esta cara e faça o que puder fazer, pois assim beneficiará as pessoas ao seu lado. O cuidado de Deus é lindo nos desafiando: “Saia deste sepulcro!” Não perca seu tempo em bobagens que fazem ser um sofrimento enorme em sua vida.






O 'cuidar' é sempre expressão de alguém que ama. Ninguém gosta de ver a pessoa amada sofrendo. Precisamos acordar para a vida.






O nosso objetivo é ser feliz! Não há problema que resista à uma pessoa transformada por Deus! A um ser humano com vontade de resolver os problemas. Não há nada maior do que uma pessoa de coragem.






Quando o sofrimento bater à sua porta, abra a janela para que você veja a dor do outro.






Transcrição e adaptação: Eliziane Alves


Fonte : Site Canção Nova

domingo, 26 de outubro de 2008

Casamento não é mágica - Pe. Fábio de Melo




"Um Eu, encontra-se com o Tu, forma-se o Nós"

Pe. Fábio de Melo

Vídeo - Não foi tua culpa (Ziza Fernandes) - Pe. Fábio de Melo



Não foi tua culpa



Muitas vezes a vida não joga tão bem,
Se destroem as coisas e os sonhos também,
Nossos olhos se enchem de lágrimas,
Lembrando o que aconteceu,



Ninguém nunca nos disse ou tentou ensinar,
Que alguns que se amam podem se odiar,
Quando não se permite ao amor respirar o orgulho consegue ganhar.
Sei não é fácil ver desmoronar,
Tua felicidade num castelo de areia,
Ouvi essas vozes na escuridão
Te acusando e reclamando.




Não foi tua culpa que não te engane com isso,
Não foi tua culpa liberta-te desse peso
Não te torture pensando que mal tens feito
Se deus não te acusa ninguém mais tem o direito
Não foi tua culpa




Não tenha vergonha se queres chorar
Tens uma ferida que deve curar
E se queres olhar a diante o passado se deve sarar
Eu sei não é fácil falar de perdão
O ódio atrapalha e escorresse a razão
Já não busques culpados em teu coração
Mas um refugio onde possas amar




Tenha coragem e segue lutando
A muito por amar em deus não pensa em deixaste
Se andam falando que a historia acabou
A verdade é outra apenas estás começando




Não foi tua culpa que não te engane mais com isso,
Não foi tua culpa liberta-te desse peso
Não te torture pensando que mal tens feito
Se deus não te acusa ninguém mais tem o direito




Tens mais uma chance de ser feliz
Ainda pode dizer ao amor que sim.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

O sofrimento é porta - Acampamento de Oração (18/10/08)

Padre Fabio de Melo

Foto: Wilson Martins



No Evangelho de Lucas 22, 39, Jesus está no Horto da Oliveiras pedindo a Deus Pai: “Pai, se é de teu agrado, afasta de mim este cálice! Não se faça, todavia, a minha vontade, mas sim a tua. Apareceu-lhe então um anjo do céu para confortá-lo. Ele entrou em agonia e orava ainda com mais instância, e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra.”





O sofrer figura como uma realidade das mais decorrentes, pois é causa de muito dizer, pensar e refletir. No sofrimento de Jesus, a angústia suprema que O abate é revelada a nós. Ele, por ser Filho de Deus, sofreu; isso é para nos identificar que a cruz não é uma representação nem um teatro, pois Ele não estava representando, mas vivendo na realidade humana por escolha da dura realidade, da conseqüência do Seu viver. Naquele momento, Ele estava com medo.




Temos o direito de chorar e dizer que estamos com medo, porque o peso da vida está sobre nós. Tornamo-nos diferenciado por que nos tornamos humanos demais. Nós ainda não encontramos maquiagem que maqueie nossa dor. O sofrimento é humano, real e concreto. Jesus pede ao Pai : “Pai, se é de teu agrado, afasta de mim este cálice! Não se faça, todavia, a minha vontade, mas sim a tua” . Ele sabia que este momento era uma transição e precisava de Deus para vencer a batalha. Nem o Filho de Deus escapou do sofrimento. Não podemos mudar o sofrimento, mas podemos pedir o milagre de saber conviver com ele. Ainda estou convencido de que o pior dos sofrimentos, nesta vida, é o sofrimento de não saber sofrer.




Quantas vezes você pediu para que o Senhor nos tirasse o sofrimento? Nós não temos como mudar isso. Quando o sofrer bater à sua porta, é melhor abri-la. Se não a abrir, ele vai ficar insistindo. Temos medo de abrir a porta para o desconhecido.




Não podemos negar a realidade por pior que ela pareça. Ela está à nossa frente e precisamos fazer alguma coisa. Por que nós sofremos, então? Porque há, em nós, o conceito de limite. Desde criança nós testamos nosso limite e sofremos por esbarrar nas limitações que nos são estabelecidas.




Nós nascemos porque o organismo de nossa mãe nos expulsou, não agüentava mais, foi porque a relação entre eles (o bebê e a mãe) chegou ao limite. Quando nascemos, a primeira coisa que fazemos é chorar para dizer que estamos no mundo. O organismo da mãe expulsa o filho por amor; e começamos nosso processo humano do sofrimento. Por isso que o ser humano não está pronto, porque precisa superar o próprio limite.




Você sabe que está doente pela dor; se está doendo, é porque ele está pedindo ajuda. Quantas vezes negligenciamos a dor do nosso corpo por não aceitar o nosso limite! O sofrimento físico é um grito de alerta para prestarmos atenção naquilo que não vai bem.




Quando existe algo que dói dentro de nós, mas os exames não acusam, temos a sensação de que a vida não tem mais graça. É a contração da vida; são os limites da alma.




Quais são os grandes sofrimentos que você identifica nos últimos tempos e que são capazes de deixá-lo infeliz? Esses são nossos limites. Se uma criança encara o nascimento como o fim, então ela já morre. Se ela encara, naquela contração, como um mundo diferente a desbravar, uma nova experiência, então ela supera o limite do nascimento.





Foto: Wilson Martins


"O pior dos sofrimentos, nesta vida, é o sofrimento de não saber sofrer"







Sofrimento é porta, mas se não atravesso essa porta, nunca vou chegar a saber o que ela vai me falar. Não aceito o desafio de passar pelo caminho estreito e mais difícil. As pessoas têm medo de atravessar a porta e ficam chorando e chorando; não vai em frente.




O que você está fazendo para mudar? Você fica olhando para a porta e não a atravessa. Temos de ser capazes de olhar os nossos limites e saber que quem manda neles somos nós. Somos nós quem administramos os nossos problemas.




Não seja um aborto humano. Muitas pessoas são abortadas da vida, porque não são capazes de entender que chegou a hora de 'sair'. Nunca estaremos prontos; experimentamos, na carne, os nossos desejos e vemos a vida passar. Por isso temos que desejar coisas maiores, para sempre termos desafios, pois é isso o que nos faz sobreviver.




Não quero que Deus retire o sofrimento de sua vida, mas que Ele o modifique em seu jeito de olhar para os problemas. Não há mágica de transformar pessoas. O sofrimento é o momento em que nos purificamos; o momento em que você foi mais infeliz, é o momento no qual você mais cresceu. Aceitar o limite é a melhor forma de acolher o sofrimento e superá-lo.




O maior milagre operado é quando Deus muda nosso jeito de pensar; o milagre da Palavra transformadora. Não adianta estar curado no corpo, se não estamos curados na alma para interpretar a vida que vem depois. Estamos, o tempo todo, pedindo para que Deus tire nosso sofrimento, mas, hoje, tenha a coragem de pedir para que o Senhor nos ajude a ver diferente o nosso sofrimento. Deus nos toca naquilo que nos modifica, não podemos tirar o sofrimento do nosso coração, mas o Pai vai nos fazer interpretar a vida de um jeito novo e saber que, esse sofrimento, não é o fim, mas o início de uma vida nova.




Vamos sofrer a dor do nascimento; mas felizes, pois Deus tem um lugar para nós.



Fonte : Site Canção Nova

Sofrimento, desafio para gigantes - Acampamento de Oração - 18/10/08

O amor do outro me torna maior, porque, quando amo e sou amado, fico maior. Por isso sentimos tantas saudades das pessoas que são especiais em nossa vida. Saudade de mãe é uma das coisas mais doidas.




Imagine a sua vida sem aquela pessoa. É o quanto você a ama. Quanto mais amamos, mais sofremos. Amar é tocar no limite; não tem como não sofrer se amamos. É possível viver sem o envolvimento do amor. O tempo todo precisamos de alguém ao meu lado que segure a nossa mão no tempo difícil. Por sermos amados é que sofremos. Sofremos por grandes causas e Jesus nos convida a viver a experiência do amor.




O sofrimento de Jesus foi porque Ele nos amou. O momento em que Ele mais sofreu foi porque mais amou. É a sua riqueza. Desejo que você tenha a coragem de abrir sua caixa de sofrimento e ver que ela está embrulhada em papéis estranhos. Isso porque aquela pessoa extraiu uma coisa diferente de você.




Não há como deixar de sofrer, porque não há como deixar de amar. As melhores coisas da vida é termos alguém ao nosso lado. Precisamos das pessoas nos momentos ruins e bons; precisamos delas ao nosso lado dizendo que estão conosco.




Não posso mudar. Se vou sofrer nesta vida, então, tenho que descobrir como sofrer, não porque sofrer. Nem sempre encontramos respostas para os sofrimentos.




Se alguma coisa ruim acontece conosco, sempre perguntamos o por quê. Para muitas coisas encontramos respostas, pois são científicas ou matemáticas; mas há momentos em que não há respostas. O que fazemos? Sofremos. É nosso limite. Há momentos que não combinam com perguntas, principalmente na tragédia; porque, quanto mais perguntamos, mais distantes do consolo da vida ficamos.





Foto: Wilson Martins

Não há como deixar de sofrer porque não há como deixar de amar.





A partir do momento em que me recuso a viver o sofrimento, as pessoas ao meu lado sofrem. Vamos organizar nosso luto e nossa tragédia, mas continuar vivendo. Vamos descobrir os motivos que nos ajudam a viver a vida. Muitas vezes, a incapacidade de organizar o sofrimento nos desestrutura.




Ninguém nos prometeu que seria simples e fácil, mas por que nunca estamos pronto a dar a volta para cima? Porque somos imaturos. Nós crescemos no tamanho, mas não no pacto com a vida. Maria foi grande porque estava de pé na cruz e não permitiu que a vida a sepultasse; ela superou a morte. Não permita que a morte de alguém sepulte a sua vida.




O que interessa é o que podemos fazer com a nossa vida. O que a vida fez não temos como mudar, pois já é passado e não temos como fazer o tempo voltar. Muitas vezes, não chegamos à resposta, porque não encontramos a pergunta certa. A sabedoria nos ensina que, ao invés de perguntar o porquê, devemos nos perguntar como passar por este sofrimento. É desafio de gigantes e ninguém nos prometeu que seria fácil. Chega de gente fracassada e indisposta para assumir a vida.




Quem não foi traído? Mas a misericórdia prevalece acima de qualquer coisa. Se alguém o traiu, expulse esse sofrimento de você. Se você foi traído, saiba que o mundo não acabou, por isso, levante a cabeça e deixe de chorar "pelo leite derramado". Nada de 'espírito de coitadinha' e 'coitadinho'. Todo mundo que anda curvado fica corcunda. Precisamos de pessoas que saibam viver a vida.




Fonte : Site Canção Nova



Transcrição e adaptação: Eliziane Alves

terça-feira, 21 de outubro de 2008

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Portador de Deus - 1a. Pregação Acampamento de Oração - Dia 17/10/08

"Quando o Sofrimento bater a sua porta"


Dias 17, 18 e 19/2008


Portador de Deus


Padre Fábio de Melo

Foto: Robson Siqueira/Fotos CN






Hoje celebramos na liturgia, memória de Santo Inácio, que recebeu o titulo de ‘’Teófiro” – portador de Deus.







Você já passou pela experiência de ser ‘portador’? Quando era pequeno, minha mãe me mandava buscar alguma coisa, e junto, levava um bilhetinho. Na verdade, era para me dar autoridade.







O que acho interessante é que ser portador de Deus tem a ver com a observação que Jesus faz sobre a hipocrisia. No ser portador não importa quem porta, mas o que se porta. Não importa quem leva, mas o que se leva.







Aqui a gente entende um detalhe da teologia sacramental muito bonito. Você pode já ter pensado que a Missa que um padre celebrou não tinha valor, pela vida que ele levava. Não importa o portador, e sim o conteúdo que ele anuncia.







Tenho que confiar que ele cumprirá o ofício de trazer o que foi pedido a ele. O que Deus realiza na minha vida de sacerdote, o que eu posso realizar a partir dos sacramentos, não está na minha dignidade, mas no ministério recebido.




Em mim o mistério de Deus sobrevive, mesmo que eu não faça como deveria ser feito, mesmo pecador. Aí a gente entende a autoridade do padre, onde mesmo não tendo uma vida santa, Jesus continua atuando nele, continua tendo poder de perdoar pecados, de ministrar os sacramentos. Nos paramentos que visto há uma identidade cravada.





Inácio de Antioquia dizia: “Neste mundo eu quero ser portador de Deus, desta verdade absoluta”. E sabe onde ele foi parar? No meio dos leões.




Com portador eu não posso extraviar esse conteúdo. Tenho que me comprometer com ele. Sou portador de um recado e eu não tenho direito de negligenciar isso...e Jesus diz para termos cuidado com aqueles que podem nos mandar para o inferno.




Você é portador de Deus.




Não há cristianismo na moleza. O portador ‘porta a dor’. Não significa você buscar sofrimento, mas abrir o coração para viver o sacrifício de cada hora.




O martírio virá. Não há como segurar esse bilhete de qualquer jeito, o mundo quer retirá-lo de nós.




Na carta que você carrega, a família tem valor, os cativos serão libertos, não há espaço para mentira, para as drogas, para os vícios. A carta que levamos leva boas noticias.




As ameaças que sofremos são outras, os inimigos são outros. Hoje você está sendo assassinado na alma.


"Preciso ser cristão em tudo o que sou e realizo. Sou portador de uma noticia!"Foto: Robson Siqueira/Fotos CN







Estamos diante do desafio de dar conta da vida todos os dias. Esse é o martírio de hoje, em tempos que não são favoráveis aos cristãos. Você está disposto a viver esse martírio?




Chega de hipocrisia. Precisamos assumir o cristianismo com todas as conseqüências.




Preciso ser cristão em tudo o que sou e realizo. Sou portador de uma noticia!




Seja portador de Deus vivendo o seu papel. O cristianismo nos envolve por inteiro. E a espada que está diante de nos hoje é essa que quer nos mandar para o inferno, que cria o inferno dentro de nossa casa.




Os saqueadores estão loucos pelos seus filhos. A cena do martírio é a mesma.




O mundo nos ameaça o tempo todo e só vai sobreviver aquele que estiver consciente do conteúdo da carta que porta, da identidade que tem. Deus conta com você.





As feras estão soltas. O mundo de hoje é covarde. Descubra o perigo mais próximo de você e aja! Peça a sabedoria que o Espírito Santo nos concede e aja. Não negligencie de levar até o fim essa carta que Deus lhe confia.




Quando as pessoas olharem pra nós terão que ver o cristo refletido. Ver que você administra seu lar diferente. Que você não é mãe de qualquer jeito.





Tu és uma carta de Cristo! Anunciamos o Evangelho mesmo calados!




Faça transparecer a identidade que está em você. Filho do céu. Portador de Deus.




Há muita gente desistindo, mas eu não desisto, não quero desistir.




Um filho do céu não pode desistir.
Não desista!







Transcrição e adaptação: Nara Bessa

Fonte : Site Canção Nova

Acampamento de Oração com padre Fábio de Melo

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Padre Fábio vai lançar novo livro : "Quando o sofrimento bater à sua porta"

Durante o Acampamento de Oração dos dias 17 e 19 de outubro, padre Fábio de Melo vai lançar o seu novo livro “Quando o sofrimento bater à sua porta”. O tema de sua obra é o foco de todo o encontro, que acontece na sede da Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).





Sobre o livro




Em “Quando o sofrimento bater à sua porta”, padre Fábio de Melo nos proporciona uma reflexão sobre as razões de nosso sofrimento e como transformá-lo em fonte de valores. A partir de vários relatos, ele expõe que o sofrimento humano está repleto de ensinamento; tudo dependerá de nosso ponto de vista e de nossas escolhas.


O livro mostra ainda que o sofrimento não deve ser um estado definitivo, mas sim um instante de travessia, um caminho para a transformação. “Sofrimento é destino inevitável, porque é fruto do processo que nos torna humanos. O grande desafio é identificar o sofrimento que vale a pena ser sofrido”, relata o sacerdote.




Sobre o autor



Fábio de Melo, mineiro nascido na cidade de Formiga, é graduado em Filosofia e Teologia, pós-graduado em Educação e mestre em Teologia Sistemática. Padre, professor universitário, escritor, cantor e compositor, dedica-se inteiramente ao trabalho de evangelização por meio da arte, e segue o princípio de que o Evangelho é sempre uma palavra que nos proporciona a “aventura do bem”.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Pe. Fábio de Melo - Filho do Céu

Pe. Fabio de Melo emociona público no Show em Manaus.

NOTíCIAS




MANAUS - O show "Não desista do amor", apresentado pelo cantor, compositor e Padre Fábio de Melo, na noite de ontem ( 8) mostrou além das canções, histórias de vida. Ele emocionou o público que lotou o Teatro La Salle, no Dom Pedro.

O show também apresentou o mais novo trabalho do Padre Fábio de Melo,o Cd ‘Vida', que concentra 14 composições, todas interpretadas pelo padre durante o show, com destaque para ‘Deus é Capaz’, ‘Humano Demais’, ‘Contrários’ e ‘Vida’,que dá nome ao álbum.





Padre Fábio disse que é muito bom estar em Manaus mais uma vez. “Fico muito feliz de voltar a essa cidade tão calorosa. Nosso coração sangrou de alegria quando ficamos sabendo da necessidade de fazer mais uma sessão”, disse.



Ao referir-se ao sucesso das músicas católicas junto ao público, o padre mostrou-se satisfeito."Na lista dos mais vendidos, estão dois Cds de padres. O que é mais importante é saber que a música católica está ganhando a um lugar de respeito. Estamos chegando lá", acrescentou.


Emoção


Durante o show, muitas pessoas foram às lágrimas com as palavras sábias de Padre Fábio.



A estudante Glória Silva, 23, disse que as palavras e as músicas eram como bálsamos para alma. “Estou emocionada, sairei daqui com o coração lavado”.



Tecladista



Maurício Pezarollo trabalha com o Padre Fábio há mais de dois anos. Eu fiz a produção do Cd ‘Filho do Ceú’, logo depois estreitamos o contato e surgiu o projeto de Piano e Voz. A partir dai começamos a viajar pelo Brasil.Há um ano e meio estamos na estrada.


- Trabalhar com o Padre Fábio é uma bênção. Eu toco com Tony Garrido, já toquei com Sandra de Sá, com grandes artistas, mas é diferente a acolhida da música católica. O carinho que nós recebemos é totalmente diferente. É uma outra vida, uma nova experiência. O legal é que o Padre, sempre faz essa ponte com a música brasileira e a católica. Eu sempre tento colocar os músicos da música secular dentro da católica e vice-versa -, disse.



Ao final do show, Fábio de Melo autografou CD`s e livros e também foi fotografado e tirou fotos com os fãs e fiéis.



terça-feira, 7 de outubro de 2008

Padre Fábio de Melo realiza três shows em Manaus

NOTÍCIAS
Portal Amazônia - Manaus,Amazonas,Brazil



Padre Fábio de Melo realiza três shows em Manaus

07 de outubro de 2008.




MANAUS – O tema "Amor" marcará os dois dias de show do cantor, compositor e Padre Fábio de Melo em Manaus. O evento será realizado no Teatro La Salle, na Avenida Dom Pedro I, Bairro Dom Pedro. No dia 8, às 20h, 9/10 em dois horários, às 17h30 e 20h.



"Não desista do Amor" é o nome do show que Padre Fábio irá apresentar, junto com o seu mais recente trabalho, o Cd ‘Vida’, que possui 14 faixas, entre elas sucessos como ‘Tudo é do Pai”, "Humano Demais" e "Vida" que dá nome ao álbum.


Devido a enorme procura por ingressos, a organização do show, teve que fazer um horário extra, no segundo dia, para poder atender a demanda. Os ingressos estavam sendo vendidos ao preço de R$ 50 e estão esgotados.


Sobre Padre Fábio de Melo

Mineiro, nascido no interior, em uma cidade chamada Formiga. De uma família extremamente simples, mas ao mesmo tempo “interessante” como ele mesmo define. “Interessante porque ali eu recolhi muitas coisas, muitos detalhes, que foram primordiais na construção de tudo aquilo que hoje eu posso dizer que sou”, disse.
Ao longo dos seus 37 anos, já são 14 Cds gravados, um DVD ‘Bem da Palavra do Bem’ (Canção Nova) e quatro livros publicados. Também apresenta toda a quinta-feira ao vivo, às 22h30, o programa Direção Espiritual na Canção Nova, onde responde a perguntas enviadas por telefone, cartas e e-mail.


Música

- Eu agradeço junto a Deus a oportunidade de ter feito da música um instrumento de meu trabalho, acho maravilhoso a possibilidade de evangelizar através dela, de falar das questões que eu acredito e que muitas vezes a minha racionalidade não me dá condições de fazer alguém experimentar. Mas a música, essa linguagem sensível, sempre me possibilita trazer um contexto de animação, de vida e de reflexão para a vida das pessoas, - concluiu.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Com dez CDs lançados, Pe. Fábio evita título de ídolo


3 Out 2008 ... Fabio de Melo é capaz de contrariar a idéia de que música religiosa só agrada aos fiéis. O nome ainda é pouco conhecido fora do segmento, ...


Com dez CDs lançados, Pe. Fábio evita título de ídolo.



Fábio de Melo é capaz de contrariar a idéia de que música religiosa só agrada aos fiéis. O nome ainda é pouco conhecido fora do segmento, mas é só ficar algumas horas perto dele que logo se percebe o tamanho de seu sucesso. Padre desde 2001, Fábio está lançando novo disco, “Vida”, o 11 da carreira e o primeiro com distribuição de uma grande gravadora, a Som Livre

— o disco é o sexto da lista dos mais vendidos. Na noite da última sexta-feira, o cantor esteve numa livraria de um shopping na Tijuca para uma noite de autógrafos. Quem passou por lá ficou pasmo: foram mais de 600 pessoas procurando por ele, 300 senhas distribuídas e 244 discos vendidos.

Acredito que o trabalho do evangelizador é mais eficaz à medida que estabelece pontes. Não quero me limitar a um discurso de sacristia. O desafio é unir cultura e fé — diz o padre, fã de Chico Buarque, Tom Jobim, Caetano Veloso e Cartola: — Boa música para mim é sinônimo de boa letra — diz ele, que compõe há 18 anos.

Mineiro da cidade de Formiga, Fábio, de 37 anos, que também é escritor — já são quatro livros, entre eles “Mulheres de aço e de flores” —, não se vê como um ídolo e nem pretende se tornar um.

— É muito pesado ser elevado à condição de ídolo, é desumanizador. Idolatria não faz bem a ninguém. Não quero ser fruto do que o outro idealizou — explica. Para Pe. Fábio, se a mídia alcança hoje a música religiosa é graças a Padre Marcelo Rossi. — Ele fez um trabalho muito corajoso, que abriu portas — elogia ele, que em breve volta ao Rio para um show, no dia 6 de janeiro, numa das casas mais tradicionais da cidade, o Canecão.




Fonte : Globo.com (Sessão Extra.com)

Site:http://extra.globo.com/lazer/sessaoExtra/post.asp?t=outro_padre_pop&cod_Post=129316&a=177

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Outonos e primaveras...

30/09
Outonos e primaveras...

Primavera é tempo de ressurreição. A vida cumpre o ofício de florescer ao seu tempo. O que hoje está revestido de cores precisou passar pelo silêncio das sombras. A vida não é por acaso. Ela é fruto do processo que a encaminha sem pressa e sem atropelos a um destino que não finda, porque é ciclo que a faz continuar em insondáveis movimentos de vida e morte. O florido sobre a terra não é acontecimento sem precedências. Antes da flor, a morte da semente, o suspiro dissonante de quem se desprende do que é para ser revestido de outras grandezas. O que hoje vejo e reconheço belo é apenas uma parte do processo. O que eu não pude ver é o que sustenta a beleza.



A arte de morrer em silêncio é atributo que pertence às sementes. A dureza do chão não permite que os nossos olhos alcancem o acontecimento. Antes de ser flor, a primavera é chão escuro de sombras, vida se entregando ao dialético movimento de uma morte anunciada, cumprida em partes.




A primavera só pode ser o que é porque o outono lhe embalou em seus braços.



Outono é o tempo em que as sementes deitam sobre a terra seus destinos de fecundidade. É o tempo em que à morte se entregam, esperançosas de ressurreição. Outono é a maternidade das floradas, dos cantos das cigarras e dos assovios dos ventos. Outono é a preparação das aquarelas, dos trabalhos silenciosos que não causam alardes, mas que mais tarde serão fundamentais para o sustento da beleza que há de vir.


São as estações do tempo. São as estações da vida.



Há em nossos dias uma infinidade de cenas que podemos reconhecer a partir da mística dos outonos e das primaveras. Também nós cumprimos em nossa carne humana os mesmos destinos. Destino de morrer em pequenas partes, mediante sacrifícios que nos faz abraçar o silêncio das sombras...




Destino de florescer costurados em cores, alçados por alegrias que nos caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que depois de outonos, a vida sempre nos reserva primaveras...
Floresçamos.